Rio de Janeiro, 17 de novembro de 2012

Tudo sobre limpeza da caixa d´água

A qualidade da água também depende de você Continue lendo

tamanho do texto:

Manter a qualidade da água que chega a sua residência também exige cuidados específicos do dono da casa ou, em condomínios, do síndico do prédio. Higienizar a caixa d´água e executar uma manutenção frequente são medidas importantes para garantir que a água que sai da sua torneira seja apropriada ao uso domiciliar.

O caminho percorrido pela água das tubulações públicas até o consumidor final é bastante extenso, e por conta disso, a possibilidade de contaminação do líquido é grande. Apesar disso, a limpeza das caixas d´água muitas vezes é deixada de lado. O reservatório geralmente fica longe de vista e isso facilita ainda mais seu esquecimento, e é aí que mora o perigo.

A CEDAE, Companhia Estadual de Águas e Esgotos, no Rio de Janeiro, recomenda que essa limpeza seja feita pelo menos uma vez a cada seis meses. A responsabilidade da CEDAE sobre a qualidade da água, no entanto, vai até às ligações, daí em diante, o compromisso é do próprio cliente. Por essa razão é importante que a caixa esteja limpa para receber a água que chega das tubulações públicas.

O biólogo especialista em biologia parasitária, Luciano Tadeu de Mendonça, ressalta a importância da limpeza e manutenção das caixas d´água. De acordo com ele, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% das doenças estão relacionadas direta ou indiretamente à água. “Temos uma das melhores águas do mundo, nosso padrão de qualidade é alto, mas da saída da estação de tratamento até nossas casas o risco de contaminação é grande, especialmente porque nossas tubulações são bem antigas. São nessas tubulações que a água pode carregar resíduos metálicos e barro até os nossos reservatórios, e tudo isso é capaz de causar graves infecções intestinais”, alerta o biólogo.

Mendonça também chama a atenção para outro grande risco causado especialmente pela falta de zelo com a caixa d’água. “Caixas quebradas atraem animais, como gatos, pombos e ratos para beber água. Existem aí dois grandes riscos, o primeiro de o animal morrer afogado e as bactérias putrefadoras contaminarem a água, outro, é do animal urinar ou defecar dentro do reservatório enquanto bebe o líquido”, chama a atenção.

Uma tampa quebrada pode criar o ambiente perfeito para a proliferação do mosquito da dengue, o Aedes Aegypti. Luciano sugere que após a manutenção da caixa d´água seja feito um teste com a água por alguma empresa credenciada ao INEA, para emitir um laudo de microorganismos e qualidade química, que vai diagnosticar a presença de possíveis vírus e bactérias, além de medir o PH e a presença de resíduos no líquido.

A limpeza das caixas d´água é uma preocupação permanente do síndico do condomínio residencial Portofino, em Vila Isabel, José Fernando Mourão. Lá a limpeza é programada uma vez por semestre. Além de uma cisterna, quatro caixas d´água de mil litros cada abastecem os dez apartamentos do edifício. “A manutenção das caixas d´água é vital para evitar maiores problemas de saúde. O condomínio é consciente disso”, declara o síndico.

É hora de limpar
Na hora da limpeza há a necessidade de ser realizada uma programação prévia, especialmente em condomínios, onde mais de uma pessoa será afetada pelo fechamento temporário do registro de água da rua para o prédio, que geralmente ocorre dias antes da manutenção. O ideal é que permaneça na caixa apenas a quantidade mínima de água suficiente para a limpeza.

O processo é simples. Após o fechamento do registro inicia-se a tarefa, que é feita nas paredes e no fundo do reservatório com escovas de nylon de cerdas macias. De modo geral, logo depois da lavagem inicial, os técnicos abrem os registros para que a água suja possa escoar pela tubulação. Em seguida é feito o enxague. Retira-se toda a água restante com um recipiente plástico; seca toda a caixa com um pano desinfetado. É quando o registro de entrada de água da rua é reaberto, enchendo novamente toda a caixa com água limpa até o nível ideal para distribuição pelos apartamentos. Algumas empresas especializadas em limpezas de caixa d´água utilizam bombas para otimizar o trabalho, especialmente quando houver mais de uma caixa d´água. A limpeza é feita em uma caixa por vez.

A síndica Janaina Santos cuida do Condomínio Vista Alegre, no bairro de mesmo nome, Zona Norte do Rio de Janeiro. Ela admite que há um ano e meio as caixas d´água do seu prédio não são limpas. Assim que assumiu seu cargo tomou o assunto como uma das prioridades, e já agendou para agosto a próxima manutenção. “Estamos em fase de cotação com as empresas pelo serviço, pois até o ano passado, era um rapaz quem realizava a limpeza, o que tornava o trabalho demorado e arriscado. Essa falta de manutenção é um dos motivos pelos quais prefiro consumir água de galão”, assume Janaina.

O ideal é que uma empresa especializada seja contratada para fazer o serviço. Não é recomendado que o zelador ou outro funcionário realize a tarefa, já que a atividade deve seguir normas de segurança do trabalho, é primordial o uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), como botas de borracha e luvas apropriadas, por quem for desempenhar a limpeza.

Durante a limpeza o profissional de uma empresa especializada também pode diagnosticar mais facilmente possíveis problemas, como rachaduras na caixa d´água, que podem trazer outras dores de cabeça, como infiltrações, por exemplo. Além disso, ele foi treinado para realizar a limpeza com os cuidados necessários para evitar a contaminação tanto de quem está limpando quanto do próprio reservatório.

Uma dica importante na hora de escolher a empresa que irá realizar a atividade é buscar referências e verificar se ela possui alvará de funcionamento na Prefeitura. Embora esse serviço seja relegado muitas vezes ao esquecimento, é importante ressaltar que as caixas d´água são regularmente fiscalizadas pelo INEA (Instituto Estadual do Ambiente), em vistorias periódicas, em campanhas de saúde ou após alguma denúncia. Na vistoria é realizada uma análise bacteriológica da água. A penalidade para a não manutenção da caixa caso alguma irregularidade seja encontrada pode variar de uma multa simples a multas diárias, correndo o risco maior de interdição do reservatório caso forem diagnosticados problemas mais graves que tragam algum risco à saúde pública.


Texto:
André Luiz Barros