Rio de Janeiro, 15 de novembro de 2016

Capa: Gestão reconhecida

APSA fecha 2016 comemorando os seus 85 anos e ainda o título de Família Empresária, concedido pela consultoria Höft, que já premiou grandes instituições de atuação nacional Continue lendo

tamanho do texto:

Cintia Laport

Levar o reconhecimento às empresas que contribuem para o crescimento do país e são capazes de inspirar futuras gerações. O princípio do prêmio instituído pela consultoria Höft, que, desde 1975, vem trabalhando no processo de transição de gerações nas famílias empresárias e no planejamento de sucessão e continuidade de empresas familiares, combina com a trajetória da APSA.  Em 2016, a empresa chega aos seus 85 anos de atuação e ainda cheia de gás. Muitos planos em mente e vontade de sobra para, de fato, sacudir e inspirar o mercado imobiliário por um bom tempo.

De filial à precursora

A história da empresa iniciou em 1931, em Porto Alegre, através de operações de crédito à casa própria, e sob o nome de Auxiliadora Predial. Anos se passaram, até que, em 1933, finalmente, as operações chegaram à cidade do Rio de Janeiro. A filial carioca, no entanto, se destacava nos negócios locais ano após ano, chegando a ter na década de 80 cinco unidades de atendimento, além do prédio sede, o tradicional número 32 da Travessa do Ouvidor. Foi então que, em 1983, sob a gestão do patriarca Carlos Henrique Schneider, o voo solo passou a ser inevitável e a Auxiliadora Predial Rio se tornava uma feliz realidade. Começava naquele momento a primeira geração Schneider à frente da APSA de hoje.

Um caminho que foi acontecendo com percalços e conquistas, mas que sempre seguiu valores bem contundentes. Carlo Leonardo Schneider, integrante da segunda geração, explica: “nosso maior compromisso sempre esteve ligado à oportunidade de oferecer moradia de qualidade às pessoas, de cuidar delas, ou seja, contribuir para algo muito maior do que o próprio negócio. Um sentimento que vem das nossas origens e que não queremos perder ao longo das gerações, afinal sempre quisemos uma empresa que continuasse depois da gente”.  Seu irmão, Ronald Henrique Schneider, esteve ao seu lado nesta mesma geração e faz coro de que foram os valores da família de fato os alicerces de todo esse desenvolvimento ao longo das décadas. “O respeito às pessoas, sejam clientes ou colaboradores, a transparência nessas relações, a idoneidade da empresa e o compromisso de cumprirmos o que prometemos são preceitos que nos fizeram chegar até aqui”, declara. Segundo ele, algumas características acabaram sendo pontos em comum da primeira à terceira e atual geração – visão de futuro, foco em inovação e qualidade na prestação dos serviços. “Tenho muito orgulho do que hoje estamos colhendo. Conseguimos chegar num estágio que poucas empresas conseguem e tudo isso graças ao esforço coletivo da nossa família”, diz. Com o passar dos anos, Ronald e Carlo também foram trazendo outros integrantes Schneider para a causa da empresa.

Fernando e Leonardo Schneider, primos, começaram a trabalhar na APSA no início dos anos 90. “Cheguei aqui aos 18 anos, assim que entrei para a universidade. Na época, não havia muitos critérios ou plano de sucessão, simplesmente entrávamos participando de um longo estágio em setores da empresa para começarmos a colocar a mão na massa, literalmente. O objetivo era conhecer o negócio e pegar amor pela empresa”, relembra Leonardo Schneider, hoje diretor superintendente. Fernando também participou desse modelo de estágio ao ingressar, e garante que esse período o fez também ter mais sensibilidade para enxergar com os olhos do cliente. “A família sempre se envolveu com o negócio integralmente. É primordial perceber as necessidades, o valor para quem prestamos serviços. Logo vimos que a segurança, a confiabilidade e a seriedade da APSA são reconhecidas fortemente pelos nossos clientes.  São diferenciais da APSA.”, garante ele, que, desde 2001, divide a diretoria superintendente com Leonardo.

Christian Kopke, outro primo, entrou em 91, na época com 21 anos de idade. A primeira experiência foi na Corretora de Seguros, uma das empresas do Grupo APSA, depois ocupou o cargo de assistente da Diretoria, e hoje é um dos integrantes do Conselho de Administração. “Percorrer esse caminho foi muito gratificante para mim, pois me deu a oportunidade de acompanhar e contribuir com o crescimento da empresa.  O cenário atual é bem diferente de antes. A empresa está mais leve e ágil na tomada de decisões, mais profissionalizada”, destaca. Frances Vivian Corrêa, outra integrante da terceira geração, iniciou seu estágio em fevereiro de 1996, pouco antes de se formar em Psicologia. O interesse inicialmente foi pelo setor de RH da empresa, permanecendo neste setor até 2003. “A partir daí deu-se início o processo de Governança Corporativa e a atuação da família na empresa foi repensada e modificada. Hoje, além de membro do Conselho de Administração, também ocupo uma das cadeiras do Conselho de Família”, explica Frances. ­

Um longo e tortuoso caminho

O movimento rumo à Governança Corporativa começou em 1998, motivado pela discussão interna e a busca por respostas às perguntas como: O que fazer para minimizar o risco para o negócio da família priorizando o interesse de todos? Como nos preparar para as futuras gerações? Como se dá o processo de sucessão? Questionamentos que, a princípio, eram familiares, mas que seriam capazes de afetar futuramente tanto funcionários quanto clientes.

“As relações familiares passavam por um momento de turbulência, o que acabava refletindo na empresa e nos negócios. Era preciso alinhar e definir o papel dos sócios na busca dos objetivos principais da empresa, como a qualidade da gestão, a satisfação dos clientes e a perenidade da empresa”, explica Christian.  Leonardo complementa: “Para poder seguir em frente de forma saudável e próspera era preciso não só cuidar da operação e do dia a dia, mas também das relações societárias, do patrimônio e das relacões familiares”. A empresa começou, então, a buscar ajuda profissional no assunto e contou com a parceria de consultorias especializadas, que contribuíram na definição do plano referente ao longo caminho que viria pela frente.

Um dos principais desafios foi a criação de fóruns para onde seriam encaminhadas as discussões.  “Neste processo foram criados os Conselhos de Administração e de Sócios, e mais tarde o Conselho de Família. Com os fóruns instituídos e os papéis da família melhor definidos, a empresa ficou mais livre para aprimorar os processos internos de gestão e crescer”, explica Frances.  Os quatro primos formaram um Comitê de Governança que coordena as ações do projeto e planeja o futuro.  “Esta sinergia entre nós, primos da terceira geração, possibilitou o aprimoramento do diálogo na família e abriu espaço para que todos pudessem se colocar, fortalecendo os laços e criando uma relação baseada na confiança”, complementa.  Afinal, segundo Leonardo, “alinhar o pensamento em prol de um objetivo maior respeitando as opiniões de cada um e valorizando as diversidades não é um processo simples de ser construído”.

Neste mesmo período, a empresa passou a investir cada vez mais na melhoria dos seus processos internos e no estudo de novas oportunidades de negócio. Ou seja, arrumava a casa ao mesmo tempo que olhava para fora com muita disposição. Ampliou seu portfólio de serviços e partiu rumo à expansão nacional. Começou, em 2007, com a abertura da sua primeira agência fora do Rio de Janeiro, mais precisamente na cidade de Salvador. Depois, Fortaleza, Recife, e mais recentemente, Maceió.  Sem falar nos escritórios montados nas cidades de Curitiba e Distrito Federal, a partir de 2013.

“A gente nunca deixou de se preparar estrategicamente rumo ao crescimento. Somos uma empresa que olha para o futuro, e isso é bom para todo mundo”, destaca Fernando Schneider. Assim, em conjunto com as conquistas relacionadas à expansão, a APSA também comemorava os avanços internos da Governança. Leonardo cita com destaque o Acordo Societário que rege as relações entre a família empresária e a empresa, o trabalho de resgate à memória institucional e a programação de encontros familiares entre as gerações. “Realizamos duas vezes por ano em locais de lazer e fora do ambiente de escritório, e assim estreitamos nossas relações sociais”, diz.

Uma gestão de família para famílias

Fernando Schneider, aos 42 anos de idade, é bem prático e categórico ao afirmar que o sucesso da empresa de hoje se deve a esse trabalho dos bastidores, que poucos vêem de imediato. “Somos uma empresa nacional, segura, confiável e com excelência operacional, reconhecimento que vem até mesmo dos nossos concorrentes, mas que só é possível graças a essa busca incessante pela perenidade da empresa, pelo pensamento a longo prazo. E depois, estamos num mercado que diz respeito à administração do patrimônio das pessoas. Quem é que vai confiar seus bens a uma empresa que não tem estes atributos?”, provoca.

O engenheiro químico e também síndico, Marco Aurélio da Cunha, sabe bem a resposta para a pergunta de Fernando. O gosto pela gestão de um condomínio ele também herdou do pai há vários anos, assim como a confiança pela parceria com a APSA. “A empresa vem nos auxiliando na forma estratégica e operacional, facilitando o trabalho do síndico através da automação dos seus balancetes, suporte jurídico, quando necessário, e o auxílio dos seus consultores de negócio. Eu, como síndico, tenho certeza de que uma parceria genuína traz bons resultados para empresas, clientes e fornecedores”, afirma.

Transparência, prestação de contas e equidade são pilares na Governança Corporativa e podem ser facilmente percebidos na linha de frente, na hora da prestação do serviço da empresa. Além de cumprir com rigor as obrigações inerentes a uma empresa S.A. de capital fechado, inclusive a publicação de seu balanço anual,  todos os contratos e acordos assumidos com clientes são seguidos à risca. A APSA agora divulga a prestação de contas de cada cliente de forma online e on time, através do seu site. “Com o passar do tempo, investimos cada vez mais em tecnologia para nos prepararmos às novas formas de atendimento. Nosso site, por exemplo, é até mais complexo do que muitos sites de bancos, por conta de todas as facilidades e simulações possíveis na ferramenta. E lá as informações estão disponíveis 24 horas por dia, sete dias da semana”, garante o diretor, Fernando Schneider, adiantando que em breve a APSA passará, de forma a dar maior segurança e transparência,  a ter em seu balanço um parecer de uma auditoria externa e independente. E para seus clientes, lançará agora em novembro  um aplicativo para celular.

Quando a gente pergunta o que ganhar essa premiação representa para a empresa, Fernando diz que dá “um imenso orgulho, já que nunca sequer imaginávamos que chegaríamos a esse reconhecimento depois de enfrentar tantos desafios”. “É sinal de que estamos no caminho certo”, acrescenta Christian. “Não esperávamos mesmo, e só de saber que grandes empresas já tinham recebido esse prêmio, como o Grupo Randon, do Sul, Grupo Algar, de Minas, a Jacto, de São Paulo, só aumenta nossa responsabilidade de levar a empresa pra frente”, assume Leonardo.

A APSA do futuro

Hoje, a APSA é líder nacional no setor com mais de 2.900 condomínios administrados e mais de 85 mil unidades, além de ter uma das maiores carteiras de imóveis para locação no país, composta por mais de 9 mil unidades. Tudo isso resulta em cerca de 3 milhões de pessoas atendidas por uma estrutura que se espalha por 19 filiais em sete estados brasileiros. Seus funcionários são altamente especializados, formados, inclusive, dentro de Casa, através da Universidade APSA, uma iniciativa também pioneira na formação de mão-de-obra dentro do mercado imobiliário.

Mas o movimento não para por aqui, nem mesmo sonha em parar. Os cerca de 40 integrantes da família Schneider continuam empreendendo, vislumbrando um futuro sempre melhor para todos. A quarta geração já está aí, e um grupo com idade entre 12 e 17 anos de idade já começa a ser preparado. “Olhar para as crianças e independente se querem ou não trabalhar na empresa, ou se tem ou não potencial para tal, dar a elas formação, preparar todas para serem empresárias e criar um ambiente de confiança entre elas afinal serão acionistas de qualquer jeito. Essa é uma missão do Conselho de Família”, explica Frances Correa, que tem a filha Aline com uma das integrantes desse grupo.

Crise? Que nada… Segundo a diretoria da empresa, quem está acostumado a gerir algum negócio no país, precisa ter o fator “crise” como parte do seu planejamento. “Nem sei dizer por quantas crises já passamos, mas de uma coisa tenho certeza: graças a esse trabalho interno de gestão de processos nós nos fortalecemos para passar por esse período mais difícil sem sobressaltos. A gente se fortificou”, garante Fernando.

Com o olhar sempre à frente, a APSA octogenária se orgulha de ser uma empresa experiente, sim, mas que acompanha as transformações do mundo. “Temos uma estrutura que ninguém no mercado tem, profissionais capacitados, preço altamente competitivo e uma vontade imensa de crescer e de inovar. Como pensamos sempre a longo prazo, buscamos estabelecer relações duradouras com os nossos clientes e o sentimento de confiança é o que rege nossas ações”, enfatiza o diretor, Leonardo Schneider. Rumo agora aos 100 anos!

 

Entenda como funciona o Prêmio Família Empresária

Em sua sétima edição, o prêmio foi criado para reconhecer publicamente as famílias empresárias ou sociedades empresariais que planejam e implementam ações contínuas em seu processo de sucessão e continuidade, integrando os aspectos: individuais, familiares, societários, patrimoniais e empresariais.

As indicações serão feitas por um Comitê composto por até 10 membros, denominado “Comitê de Indicações”. Para esta composição são selecionadas pessoas com as seguintes características: empresários de destaque nacional no seu setor e região geográfica, sócios, acionistas, herdeiros, representantes de associações comerciais, industriais, de classe e de outras instituições representantes de empresas. O Comitê de Indicações atuará de forma voluntária.

As famílias empresárias, candidatas ao prêmio recebem as diretrizes necessárias para que possam preencher um questionário eletrônico para o processo de análise e, a partir daí, serão apontadas as finalistas.

A cerimônia de premiação, que apontou a APSA como vencedora da edição 2016, aconteceu no dia 25 de agosto deste ano, em um evento na cidade de São Paulo.

 

Confira, abaixo, as empresas vencedoras das edições anteriores:

2015 – grupo WEg Famílias Voigt, Silva e Werninghaus

2014 – Empresas Randon Família Randon

2013 – grupo simões Famílias Simões, Pacífico e Pinheiro

2012 – grupo Lwart Família Trecenti

2011 – grupo Algar Família Garcia

2010 – grupo jacto Família Nishimura