Rio de Janeiro, 10 de setembro de 2012

Muita diversão para a criançada

Ter um espaço para as crianças e os adolescentes brincarem dentro do condomínio significa muita diversão, mas também pode ser o local ideal para a socialização e o aprendizado de regras de convivência. Confira as dicas dos síndicos que mantêm espaços criativos e aconchegantes em seus condomínios. Continue lendo

tamanho do texto:

Outubro é o mês delas. E a criançada está em todo lugar. Elas pulam, brincam, saltam, correm por toda parte. E não há nada melhor do que um espaço dedicado só para elas. A grande parte dos condomínios, hoje em dia, já possui áreas de lazer para as crianças gastarem energia e se divertirem. Eles vão desde os tradicionais playgrounds até às mais criativas brinquedotecas.

Os espaços direcionados para as crianças brincarem são muito variados e, além de garantir momentos de alegria, também são excelentes para a socialização. No Condomínio do Edifício Golden Garden, em Botafogo, há diferentes espaços onde as crianças e os adolescentes podem se divertir. Como o condomínio apresenta, aproximadamente, 50 crianças e adolescentes entre um mês e 17 anos de idade, os espaços são divididos por faixa etária para atenderem melhor cada público.

Saul Cusnir, síndico do condomínio há dois anos e meio, explica que há dois espaços diferentes: o parquinho e o espaço bebê. Cada um possui características próprias e a faixa etária para utilização dos mesmos também é um pouco diferente. O parquinho é uma área ao ar livre com piso emborrachado e brinquedos de plástico, como balanços e escorregas, e pode ser usado por crianças com até seis anos de idade. Já o espaço bebê é um local fechado onde há brinquedos, televisão, DVD, piscina de bolas e também livros. Este local é reservado para crianças menores, com até três anos de idade.  “Como o parquinho é aberto, é complicado utilizá-lo em dia de chuva ou sol muito forte. Por isso, criamos um espaço fechado, um pouco menor que o aberto, para crianças com até três anos”, ressalta o síndico.

No Condomínio do Edifício Residencial Tijuca Excellence, na Tijuca, há duas áreas para as crianças brincarem. Uma deles parece ter sido retirada de um conto de fadas, pois trata-se de um lindo parquinho construído embaixo da copa de uma árvore que atravessa três pavimentos do edifício. Segundo a síndica Léa Regina Vieira de Melo, o local é o favorito dos condôminos.  “Temos um espaço lindo para crianças com até 12 anos. Tem um brinquedo grande com escadas, escorrega em formato de caracol, casa de boneca, balanços. Esse parquinho fica embaixo da copa de uma árvore, que perpassa três pavimentos, e tem grama sintética. Um lugar maravilhoso, e xodó do condomínio”, destaca a síndica.

Espaço para os adolescentes
Cada vez mais, o lazer vem ocupando um espaço fundamental e indispensável na promoção da qualidade de vida e do bem-estar no mundo atual. Há quem diga que momentos de lazer e diversão são essenciais para tornar a pessoa mais sociável e criativa. Para isso, uma boa opção também é idealizar dentro do condomínio um espaço para os adolescentes. No Golden Garden, o espaço teen atende crianças e adolescentes entre 10 e 15 anos de idade. O local tem ar condicionado, sofá, televisão, DVD e vídeo game. De acordo com o síndico Saul Cusnir, “os jovens ficam lá assistindo a um DVD ou jogando o game. E, muitas vezes, eles ficam nesse espaço somente conversando, batendo papo, o que é muito bom para a socialização”, ressalta.

Além do espaço teen, no Golden Garden, há o tradicional play, que abrange várias faixas etárias, com mesa de totó e ping-pong e as crianças também podem jogar futebol e queimado.  “Nessa área, as crianças podem brincar à vontade, mas com bom senso”, destaca Saul Cusnir.

No Tijuca Excellence a reforma feita na sala de jogos deu lugar ao lounge que pode ser desfrutado por todas as faixas etárias. Lá, há mesas, cadeiras e televisão. As crianças podem levar brinquedos, as mães podem levar colchonetes para os bebês brincarem e os adolescentes os seus vídeos games. “A sociabilidade no condomínio é muito boa. É raro acontecer algum tipo de problema porque as pessoas respeitam muito o espaço para manter a ordem, a tranqüilidade, a beleza do local e vigorar a paz. Ou seja, o uso fica pautado pelo bom senso”, enfatiza a síndica Léa de Melo.

Regras de convivência
Viver em condomínio exige respeito ao próximo e o cumprimento de algumas regras para que a paz e tranqüilidade estejam presentes no dia-a-dia. O síndico Saul Cusnir explica que há algumas regras para a utilização dos espaços no Golden Garden. No espaço bebê, por exemplo, não é permitido usar calçados, além de ser obrigatória a presença de um responsável com as crianças. Também não é permitido comer nem beber tanto neste espaço quanto no espaço teen. “No espaço bebê e teen não se pode comer biscoitinhos, salgadinho ou refrigerante porque pode acabar sujando ou estragando alguma coisa”, explica.

Já na área externa, onde há dois golzinhos pequenos para as crianças jogarem futebol, existe uma regra na Convenção do Golden Garden que determina que a bola precisa pesar até130 gramas, mas, de acordo com Cusnir, na prática não funciona. “Eles acabam jogando com as bolas que eles têm. Para cumprir essa regra, o condomínio deveria ter à disposição dos moradores várias bolas com esse peso. Então, essa regra acaba não funcionando e permitimos que eles joguem com qualquer bola. Mas quando vejo que eles estão exagerando, peço para que se contenham”, explica.

Saul afirma ser um síndico presente e amigo das crianças e adolescentes do condomínio. Por outro lado, não se priva de chamar a atenção deles quando estão se excedendo. “Com adolescente se você for severo demais, não consegue nada. É preciso ter jogo de cintura o tempo inteiro com eles. Da mesma forma que você exige respeito, não pode exigir que eles façam coisas diferentes da idade deles. Nós já fomos adolescentes e sabemos como é isso”, destaca.

A síndica Léa de Melo relembra com saudosismo dos tempos em que seu filho brincava no parquinho embaixo da árvore. “Meu filho era bebezinho quando viemos para o condomínio. Hoje, está com 24 anos e tenho foto dele brincando naquele lugar. Os bebês que foram criados embaixo dessa árvore, hoje, já são advogados, médicos, engenheiros. Esses espaços são excelentes para a convivência não só das crianças mas também dos adultos. Eu mesma já cansei de ir para lá à noite conversar com outros condôminos e ver o anoitecer”, destaca a síndica do Tijuca Excellence.

Manutenção e segurança
A manutenção, na maioria dos casos, fica por conta da arrumação, limpeza e checagem de funcionamento dos brinquedos e equipamentos eletrônicos. A síndica do Tijuca Excellence afirma que a manutenção da área de lazer quase não dá trabalho. Recentemente, foi trocada a grama sintética do parquinho que com o tempo vai se deteriorando. A preocupação maior é com a árvore que recebe poda regular. “Desde que assumi o condomínio, eu chamo empresas especializadas para a poda da copa da árvore, um flamboyant, para manter a beleza dela. As crianças gostam muito”, afirma.

No quesito segurança, quando há crianças envolvidas, é preciso ter cuidado redobrado. No Golden Garden, Saul optou por colocar câmeras de segurança nos três espaços. “Se houver algum problema, nós saberemos de quem cobrar”, explica.

Criando o espaço ideal
Não há um condomínio em que não tenha ao menos uma criança. E criar um local para crianças e jovens se divertirem no condomínio tem um apelo muito forte hoje em dia, sobretudo, por questões de segurança. Contudo, é preciso levar em consideração a especificidade de cada ambiente condominial. É necessário que se tenha um espaço físico adequado para a implantação da área de lazer e recursos financeiros para tal. Além disso, os condôminos precisam estar de acordo com a construção do local, o que torna imprescindível levar o assunto para discussão em Assembleia.

O síndico do Golden Garden explica que, em geral, os pais querem este tipo de espaço porque é uma forma de entreter os jovens dentro do condomínio, que pode montar um projeto para mais de uma administração executá-lo. “Se o condomínio elaborar um projeto, mas não tiver os recursos financeiros para executá-lo por completo, as outras etapas podem ficar como metas para os próximos síndicos”, dá a dica.

 

Dica para o síndico
Ao criar um espaço para recreação infantil, priorize espaços lúdicos, nos quais a criança possa brincar e desenvolver a sua criatividade. Crie áreas para atividades diferentes, como o cantinho da leitura ou jogos. Utilize brinquedos apropriados para cada faixa etária. E se houver espaço físico, as quadras de esporte são sempre bem-vindas para as crianças maiores.

Texto: Vanessa Sol