Rio de Janeiro, 27 de julho de 2016

Portaria em segurança

Vai instalar uma proteção a mais no seu condomínio? Aprenda como escolher o portão mais adequado ao seu perfil e necessidade. Continue lendo

tamanho do texto:

Juliana Almeida

Portões de ferro, alumínio, madeira ou vidro, qual o modelo ideal para o seu condomínio? Parece ser uma decisão fácil, mas a escolha do material pode influenciar diretamente em custos, segurança e até na estética do prédio. Hoje podemos observar uma grande diversidade nos modelos de portões combinada a vários tipos de materiais que garantem atender a todos os gostos e públicos. No entanto, precisamos estar atentos a todos os detalhes, afinal, o modelo de um portão precisa ser levado em consideração, já que é um dos itens mais importantes da fachada de um prédio.

Custo versus material 

Nos condomínios construídos há algum tempo, as construtoras costumavam instalar gradis em suas fachadas porque não havia problema de segurança, ou simplesmente colocavam portões de ferro, pesados, em virtude da inexistência no mercado, de material mais leve. Os portões de ferro, até hoje, ainda são os mais usados, são mais baratos, no entanto, exigem uma manutenção maior, como o tratamento contra corrosão e pintura periodicamente. Eles são mais pesados e dependendo do tamanho do portão necessitam até de dois motores, se este for automático, ou até um mais potente, gerando assim mais uma fonte de despesa para um condomínio, por exemplo.

Algum tempo depois passou-se a utilizar portões de alumínio, esteticamente feios, que mais tarde foram substituídos pelo alumínio anodizado (que consiste no depósito de uma fina camada de óxido, que permite o tingimento da superfície, facilitando a sua coloração), o que melhorou muito o aspecto. Os modelos de alumínio são mais caros, são mais leves e sua manutenção é mais simples.

De acordo com Thiago Reis, vice-diretor de uma empresa especializada em grades e portões, hoje em dia é mais comum a procura por portões em alumínio por diversas razões: “Portões em alumínio são muito mais leves, além de resistentes. O alumínio utilizado na fabricação de grades e portões é tratado para que sua pintura seja resistente à maresia, não há oxidação do material, aumentando assim sua durabilidade, o que diminui o gasto com manutenção. Além disso, por ser mais leve, o equipamento utilizado para a automatização desses portões é mais barato e possui alta durabilidade, pois não lida com o peso excessivo dos outros materiais como ferro, vidro ou madeira, por exemplo. ”

Mas há também aqueles que preferem os modelos mais clássicos, como os portões de madeira, bonitos e imponentes. Entretanto, é o tipo de material que exige mais manutenção, pois devem ser lixados e pintados (ou envernizados) constantemente, e dependendo do tipo da madeira utilizada pode custar muito mais caro.

Outro modelo que vem sendo usado com mais frequência são os portões de grades horizontais. É possível o uso dele com um vidro temperado, por exemplo, e além de ficar mais bonito e moderno com a utilização dos dois materiais, ainda possibilita um jogo de “vela e revela”, podendo mostrar a parte da entrada que mais se deseja. Há também o que une duas tendências, que são as linhas e grades horizontais para quem quer privacidade e ao mesmo tempo claridade e ventilação.

Por falar em novidade, os portões de vidro temperado são uma nova tendência. As vantagens para quem prefere os vidros começam pela visibilidade e pela valorização da fachada, as desvantagens consistem na instalação mais cara e na limpeza constante, já que qualquer tipo de sujeira pode ser facilmente vista no vidro. “Portões de vidro, apesar de mais elegantes, possuem um custo de manutenção elevado. Outra tendência no mercado são as grades de alumínio com painéis de vidro, o que deixa o gradil muito mais imponente, destaca os jardins da entrada e com certeza valoriza a fachada dos condomínios. Os módulos são fixos, portanto, o peso do vidro não interfere na instalação do gradil”, aponta Thiago.

A síndica do condomínio Place Verte, em Botafogo, Cilene Magalhães Medeiros, instalou há cerca de cinco anos, um portão que une vidro e alumínio e não se arrepende da escolha: “O modelo escolhido para a grade e portão de entrada considerou, além da segurança, a alternativa que tivesse o menor impacto possível na fachada do prédio. Optamos pelo vidro porque dá leveza e não interfere tanto no projeto arquitetônico do prédio.”

O vidro exige uma limpeza periódica bem mais constante que uma grade, por exemplo, e sua instalação costuma ser 30% mais cara comparada a outros materiais normalmente utilizados. Mesmo assim, Cilene afirma que a diferença de valor seria compensada pela beleza que o projeto proporcionaria. No caso do condomínio Place Verte a escolha do tipo de portão levou em conta diversos fatores, tanto custo, como beleza e segurança, por isso, a síndica pesquisou bastante as empresas que prestam este tipo de serviço no mercado e faz um alerta: “além de fazer a pesquisa de preços, é preciso estar atento às queixas dos clientes no PROCON ou em sites de reclamações, por exemplo. Também é importante alertar os síndicos sobre a verificação dos termos do contrato e o projeto apresentado pela empresa escolhida, a fim de evitar possíveis transtornos.”

Quem pensa em aderir à beleza da transparência deve levar em conta algumas considerações. Além do custo e da manutenção citados acima, deve-se estar atento à estética do seu prédio, lembre-se que os vidros se encaixam melhor em projetos arrojados.

É possível conciliar segurança e estética?

Em relação à segurança, já foi comprovado que casas e prédios com portões fechados inibem a ação de assaltantes em comparação aos que utilizam portões de vidro, por exemplo, em que a visibilidade e falta de privacidade são totais. Acredita-se que a visibilidade seja um facilitador para este tipo de ação e neste caso, optar pelo belo pode colocar os moradores em risco.

Segundo Mario Tricanico, engenheiro eletrônico e de segurança, beleza e segurança podem combinar em perfeita harmonia, porém ele afirma que não há material totalmente seguro: “Quanto maior for o elemento surpresa para quem está do lado externo, maior será a segurança, portanto, recomendamos que os portões sejam deslizantes e totalmente fechados, e que sejam abertos somente com o comando do porteiro. ”

O ideal é conversar com o profissional que irá instalar o seu portão, certamente ele irá fornecer orientações e dicas sobre a melhor escolha a ser feita, de acordo com o seu orçamento, as suas preferências e as características do seu condomínio. E não se esqueça: para a instalação ou substituição de grades e portões é necessária a aprovação em Assembleia Geral.