Rio de Janeiro, 15 de novembro de 2016

No clima do Natal

Seja através de uma decoração solidária entre vizinhos ou pela contratação de uma empresa especializada, não deixe de levar cores e luzes para o seu condomínio Continue lendo

tamanho do texto:

Juliana Marques 

O Natal é uma época de confraternização e, assim como acontece em muitas famílias, que se unem em torno da decoração especial da casa, é importante expandir esse espírito para fora dos apartamentos, mobilizando os condôminos em torno dos preparativos para a festa. Com a chegada das festas de fim de ano, os condomínios começam a se preparar para fazer sua decoração de Natal.

Em alguns condomínios, os moradores se mobilizam para fazerem a decoração, onde o desafio é decorar sem ultrapassar o orçamento, já em outros, o síndico prefere contratar uma empresa especializada para realizar este trabalho. O importante é planejar para que tudo fique pronto a tempo, mas lembre-se, a decoração nas áreas comuns deve estar incluída na previsão orçamentária e também ser planejada com bastante antecedência.

O primeiro passo é analisar o local do condomínio onde a decoração será montada, seja numa área ampla ou ainda na fachada do prédio, é importante avaliar as condições a que os enfeites estarão expostos para que situações climáticas, como ventos fortes, chuva ou muita exposição ao sol não danifiquem os enfeites e nem causem uma aparência feia.

É possível também fazer uma decoração interna, como no hall, playground e área de lazer, que deixa o ambiente muito bonito e no clima do Natal. Nesses locais também é importante observar o espaço, para que não sejam comprometidas áreas de passagem, com o fluxo intenso de pessoas. Além disso, a decoração natalina não deve “competir” com a decoração já existente no local, como flores, vasos, quadros e outros elementos decorativos, por exemplo.

Para fazer uma boa decoração de Natal, síndicos e moradores devem analisar as diversas opções existentes no mercado. São muitas, das sofisticadas às mais simples. Segundo a designer de interiores, Daniela Michelin, em todos os anos existe a procura para os dois tipos de decoração: “Temos as decorações tradicionais que sempre agradam, pois, o mercado nacional consegue oferecer produtos personalizados feitos sob medida e até enfeites que atendam a um projeto específico. ”

Outro ponto importante é o tipo de decoração que o condomínio espera apresentar. Se o desejo for por algo simples, como lâmpadas do tipo “pisca-pisca” nas árvores do jardim e enfeites do mesmo tipo na portaria, os próprios funcionários podem se encarregar de fazê-lo. Também é possível colocar uma árvore de Natal no hall social, com algumas caixas, que simbolizam os presentes, embaixo dela. Nesses moldes, a decoração sai bem em conta. Na hora de montá-la vale usar os enfeites de anos anteriores – os custos são apenas em substituir as lâmpadas queimadas e algum enfeite quebrado.

Para facilitar a vida do síndico, uma opção é contratar uma empresa especializada em decoração natalina, que oferece garantias de produtos e instalação, além de segurança para a equipe que realizará o projeto. Projetos para áreas externas utilizam materiais que resistem ao tempo e são feitos sob encomenda. Alugando a decoração, o condomínio elimina o problema da desmontagem e de espaço para a armazenagem do material até o Natal seguinte. Dessa forma, consegue-se variar os motivos anualmente sem investir na compra dos materiais.

Entre as vantagens de se contratar uma empresa terceirizada está o tempo reduzido na execução do trabalho, seguro de vida dos funcionários e também decorações mais criativas com garantia de manutenção. O valor da manutenção de uma luz queimada ou de um enfeite danificado, por exemplo, pode ser muito alto, mas com a garantia este problema é rapidamente resolvido. O ideal é contratar um profissional que apresente diferentes possibilidades até que uma se adeque à sua necessidade, garantindo a compra do material certo, a montagem e até o armazenamento dos enfeites depois das festas.

Há outros lugares, principalmente os condomínios de luxo, que optam por apresentações mais elaboradas. Para quem quer uma decoração completa de fachada, é preciso preparar o bolso. Dependendo da empresa escolhida e do tipo de ornamentação o custo pode superar os R$ 10 mil. Para Daniela, o orçamento pode variar muito de acordo com o tamanho do condomínio e do tipo de material a ser utilizado. “Gosto de trabalhar com produtos de melhor qualidade, pois podem ser utilizados por vários anos. Se o orçamento for reduzido, recomendo locar a decoração em determinados lugares e a cada ano, acrescentar elementos. Melhor uma decoração menor e bem-feita do que pulverizar enfeites inferiores em todo lado”.

Já para quem não quer gastar nada ou quase nada com a decoração de Natal deste ano, vale aproveitar os enfeites utilizados em outros anos. Este é o caso do condomínio Queen Victória, na Barra da Tijuca, onde o síndico, Nelson Gomes Barreto, reaproveita a decoração de anos anteriores e garante que além de economizar consegue montar a cada ano um cenário diferente. “Aproveitamos sempre os enfeites dos anos anteriores. Com experiência, juntamos criação com inovação e com o passar dos anos o prédio fica mais bonito atendendo principalmente as crianças e aos moradores”, afirma Nelson.

Com cuidado na desmontagem e no armazenamento dos enfeites, é possível reutilizar cerca de 70% dos adornos e aproveitá-los em lugares diferentes. Para Daniela Michelin, não é necessário trocar todo ano a decoração do condomínio, basta incrementá-la, desde que haja sempre uma unidade, a dica é: “Siga sempre o mesmo padrão, nada de utilizar aqueles enfeites muito antigos ou danificados. Fica difícil fazer um projeto bonito se você tem que utilizar todo tipo de enfeite que existe no prédio há anos”, enfatiza a designer de interiores.

Caso o condomínio opte pela montagem de sua própria decoração vale reunir uma comissão de moradores interessados na decoração, assim, todos terão o direito de opinar, levar suas sugestões e ajudar na montagem. “A cada ano adquirimos mais experiência e nos preparamos cada vez melhor para decorar os nossos espaços. Por isso, contamos com a participação de alguns moradores para a troca de ideias criativas”, ressalta o síndico do Queen Victória.

Além da decoração tradicional, com árvores, guirlandas e papai Noel, é possível decorar o condomínio apenas com iluminação. Existe uma grande demanda de iluminação tanto das fachadas como dos jardins, uma vez que o mercado oferece todo tipo de formatos e tamanhos para este tipo de decoração, no entanto, é preciso estar atento aos cuidados necessários para a instalação e os custos previstos. Os projetos de iluminação devem contemplar economia de energia, evitando emendas e ligações irregulares que possam provocar sobrecarga nas instalações do condomínio. Nesses casos o recomendável é contar mesmo com a mão de obra especializada – já que não é possível para os moradores ou funcionários, por exemplo, colocar lâmpadas em toda a fachada.

Quem quiser uma decoração mais ecológica pode usar a criatividade e criar enfeites com garrafas pet e revistas antigas, por exemplo. É importante lembrar que a lei civil determina que obras voluptuárias e estéticas (que é o caso da decoração) somente sejam realizadas se aprovadas por 2/3 das unidades. Por isso, atenção! O síndico que determina a compra dos itens sem aprovação em assembleia está contrariando a lei e deverá ressarcir os cofres do condomínio, pois o conselho não tem legitimidade para aprovar essa compra.

 

Dicas para não errar:

  • Converse com um profissional especializado

Mesmo para àqueles que optarem por fazer sua própria decoração, busque um especialista em decoração para trocar ideias e pegar dicas. O profissional pode ser arquiteto, paisagista ou decorador. Assim, você fica tranquilo quanto à beleza e à segurança.

  • Ofereça mais de uma opção para os moradores

Levante, no mínimo, duas opções de decoração para debater com os moradores. Isso facilita na hora de satisfazer a todos.

  • Faça uma simulação prévia 

Prepare imagens que reproduzam como ficarão os locais com os enfeites. Isso facilita a compreensão dos moradores de como ficará o prédio.

  • Orçamento é fundamental

Faça orçamento das opções de decoração em, no mínimo, três lojas diferentes. Tal medida gera confiança e mostra que você se preocupa com a qualidade e também com a economia.

  • Decisão coletiva evita conflitos

Por fim, realize uma reunião com os moradores para a escolha da nova decoração. Isso, porque, as ações em condomínios devem ser determinadas em conjunto.