Rio de Janeiro, 15 de março de 2015

Condomínio Presidente Wilson

Controle: palavra-chave na administração do edifício comercial localizado no Centro da cidade do Rio de Janeiro Continue lendo

tamanho do texto:

Texto: André Luiz Barros

A verticalização do Rio de Janeiro teve início na década de 20 e de lá pra cá, bairros especialmente da Zona Sul e Centro do Rio de Janeiro se transformaram em verdadeiros conglomerados de prédios com mais de 15 andares. O edifício Presidente Wilson, no Castelo, é um deles. Situado entre as avenidas de mesmo nome e Pres. Antônio Carlos, a construção se destaca por sua imponência e modernidade. Ao todo são 19 andares de salas comerciais e lojas, e a rotina administrativa é um capítulo à parte.

Quem nos apresenta o edifício é o gerente Raul Santos, da Gestão Condominial APSA (Offices), responsável pela administração do condomínio. Raul conta que o desafio de cuidar de um prédio comercial no Centro da segunda maior cidade do Brasil é grande, e podemos imaginar o porquê.

Raul tem em seu radar diferentes pontos de atenção. É ele quem gere o seguro, a segurança, os impostos, as vistorias, as manutenções, os serviços de adequações, controles e todos os acompanhamentos diários, ou seja, é preciso pulso firme e organização para estar a par de tudo, sem deixar nada de fora.

O dia a dia do condomínio é complexo. Centenas de pessoas cruzam os corredores do prédio diariamente, entre condôminos, prestadores de serviços, funcionários e visitantes, que não são poucos. “O controle de acesso é um dos problemas enfrentados pelo condomínio. São muitos visitantes, muitas entregas e é preciso zelar pelo acesso seguro às dependências do prédio”, destaca Raul.

O segredo para ele está na forma com que isso é feito. “Priorizamos três pontos: transparência, controles e soluções preventivas”, dá a dica. Ele explica que essa é a tônica de sua gestão. Aponta ainda que o controle é um cuidado primordial no processo administrativo. E não é para menos, além das dezenas de condôminos, o condomínio possui 20 funcionários, entre diretos e terceirizados. Administrar todas essas contas, entre folhas de pagamento, contratos, cadastro e notificações para os proprietários de salas e lojas do prédio exige tempo e dedicação exclusiva.

A equipe de Raul controla os seguros, impostos e vistorias mensalmente e até diariamente por meio de planilhas. Nelas estão todas as informações necessárias para o monitoramento e acompanhamento das despesas e receitas do condomínio. Para evitar possíveis surpresas, o arranha céu possui um plano de contingência, com soluções preventivas baseadas nos controles diários, que facilita na identificação de qualquer problema que possa acontecer, incluindo possíveis trocas e substituições antes da perda ou da situação de crise propriamente dita.

 

30 anos no condomínio
O encarregado de Manutenção, Manoel Augusto Pereira Moreira, de 53 anos, é o funcionário mais antigo do condomínio. Antes mesmo de trabalhar na equipe do prédio, Manoel prestava serviços para uma empresa de serviços gerais sediada no edifício. Não demorou muito para ele, na época, com 23 anos, encontrar no novo prédio, construído há pouco mais de cinco anos naquele período, uma oportunidade de ascensão profissional.

Manoel começou sua carreira no condomínio como ascensorista e hoje é o manda-chuva da área de manutenção. É ele o responsável por todo o trabalho preventivo e resolutivo das áreas de elétrica, hidráulica e infraestrutura. O desafio de evitar problemas nos 19 andares do prédio, além da cobertura é dividido com mais um profissional da área. “É um trabalho dinâmico e preventivo. Todos os dias podemos encontrar algo fora do lugar, um probleminha aqui, outro ali. É preciso atenção e conhecimento para deixar tudo em ordem e evitar surpresas”, conta o encarregado de manutenção.

 

Gestão profissional
Dispor desse serviço completo de administração condominial é fácil e rápido. A APSA oferece a seus clientes a Gestão Condominial APSA, um produto customizado para cada empreendimento. No caso do Presidente Wilson, na modalidade Offices, destinada à gestão de edifícios comerciais. Raul trabalha há 16 anos como síndico e administrador de condomínios, e, para ele, o edifício do Centro da cidade é um case de sucesso.

“Nossos controles funcionam e não recebemos reclamações que fujam do normal por parte dos nossos condôminos. Atribuo a isso os esforços de antecipação praticados por nossos colaboradores. A comunicação entre todos se dá de forma rápida, o que torna muito mais prático a escuta e a resolução de qualquer imprevisto, dando o retorno com a solução para o cliente de forma bastante eficiente”, comemora.