Rio de Janeiro, 22 de novembro de 2015

Bate o sino, mas não bate o orçamento

Em tempos de crise, confira dicas e soluções de especialistas, artesãos e síndicos para produzir uma decoração de Natal exuberante gastando menos. Continue lendo

tamanho do texto:

Mario Camelo

Vem chegando outubro, novembro, e quando a gente menos espera… Já é Natal! Mas aquela sensação de que o ano voou só chega mesmo quando começamos a andar pela cidade e nos damos conta de que tudo já está decorado: o shopping center, as lojas, as ruas, as árvores e claro, os condomínios. Sim! A decoração de Natal nos edifícios é o principal indício de que está chegando o dia de trocar presentes e celebrar as festas de fim de ano. Mas, em tempos de recessão econômica, de cortes de custos e de reduções de orçamento, surge uma questão: como produzir uma decoração natalina linda (como a época pede) sem gastar muito dinheiro, ou melhor, reaproveitando? É mais fácil fazer tudo sozinho ou a ajuda profissional também é válida?

Síndica há mais de dez anos do Condomínio Dell Mar, de 40 unidades, Renne Farhy é daquelas que já fica ansiosa quando chega o mês de outubro. A decoração do condomínio é um assunto tão especial, que Renne decidiu contratar uma profissional para ajudar na tarefa. “Nós contratamos uma decoradora de interiores que cuida somente da ornamentação interna, já que não temos projeto para a fachada. Como é um espaço grande, optamos por ajuda profissional para que o projeto seja realmente bonito. Eu vejo isso como um investimento, já que é uma tradição anual e o profissional nos ajuda também a economizar, reaproveitando e optando pelos materiais certos”, afirma.

Gerente de conteúdo da Cecilia Dale, uma das principais empresas do segmento de decoração natalina no país (que cuida da decoração de mais de 25 shoppings e de mais de 100 projetos corporativos ao redor do Brasil), Sylvia Dale diz que apesar da crise anunciada para este ano, a magia do Natal não pode ser preterida. “Natal é época de comemorar coisas boas e não podemos ficar com cara de vacas magras. É importante entender que existe Natal bonito e bem decorado dentro de todos os orçamentos”.

COMO GASTAR MENOS PARA DECORAR

Especialista no assunto, Sylvia Dale explica que existem inúmeras formas de economizar quando o assunto é condomínio. A primeira delas é investir para durar, afinal, comprar materiais de qualidade é garantia de reaproveitamento no ano seguinte. “Aproveitar a decoração do ano anterior e comprar algumas novidades para mesclar é uma ótima solução não só para o condomínio, mas para a nossa casa também”, afirma ela.

E para a atração principal da decoração, a árvore, há ainda uma dica especial. “Em condomínios, é sempre bom optar pela árvore artificial. A natural vai ficando escura, e por mais que se compre com um torrão, as folhas vão caindo e podem se partir. Uma boa árvore artificial é uma economia para o condomínio. Você desmonta e guarda para o ano seguinte. Mas tem que ser boa. Como dito, é melhor investir em um produto que vá durar mais do que ter que trocar constantemente”.

Segundo ela, investir na desmontagem também vale a pena. “Se você não tem uma pessoa cuidadosa que retire os enfeites, as luzes e que desmonte tudo com muito cuidado, certamente vai perder boa parte da ornamentação para o ano seguinte. Deixar na mão do porteiro ou de qualquer ajudante, pode ser uma péssima ideia na hora de economizar”, diz. E na hora de guardar tudo, a profissional ressalta que é muito importante escolher um lugar sem umidade e com pouca poeira para proteger a decoração, afinal, ela ficará ali por um ano inteiro. Caixas plásticas grandes são uma excelente escolha para armazenar todos os itens, evitando que eles sequem, amassem ou envelheçam antes do tempo. E na hora de montá-la, Sylvia sugere ainda outra dica infalível: “Para a árvore, as pessoas costumam compram enfeites baratinhos e pequenos. Não é uma boa estratégia. Vale mais a pena investir em enfeites grandes. Bolas grandes, laços grandes, flores… Assim você vai ter uma quantidade menor de enfeites, no entanto com muito mais volume e comprando muito menos”.

Objetos decorativos mais chamativos, com muitas flores, também são uma dica para criar um clima exuberante, assim como as luzes de LED para o pisca-pisca. O LED é mais caro, porém, gera uma economia maior de energia e é um material de maior durabilidade, podendo ser reaproveitado mais vezes. E claro, não se deve esquecer de desligar as luzes quando o dia estiver claro. Colocar a iluminação na árvore antes dos enfeites também é válido para preencher melhor os espaços e, assim, decorar com menos gasto.

“Em tempos de dificuldades ou se você quer economizar, aposte no básico para uma decoração perfeita: uma árvore, uma guirlanda e um centro de mesa na portaria. Com isso você cria um clima natalino, chique e elegante”, conclui Sylvia.

Especialista em desenvolver objetos com materiais reaproveitados, com retalhos e com diferentes tipos de materiais, a artesã carioca Tula Bassin já começa a receber encomendas de Natal em meados de setembro. E segue a regra de que reaproveitar é bom sim! Segundo ela, todo tipo de material pode se transformar em lindos objetos decorativos. O principal segredo é a imaginação. “Eu recomendo reaproveitar, especialmente em espaços grandes como condomínios. E economia é essencial, mas não podemos esquecer que o Natal pede uma decoração mais pomposa e os próprios moradores ficam contentes quando veem suas casas mais bonitas e no clima das festas”, afirma ela, que entre suas criações, possui guirlandas de retalho, árvore de tecido e muitos acessórios natalinos em patchwork.

O IMPORTANTE É FESTEJAR

E no fim das contas – que em tempos de crise, nem sempre estão no azul -, o que mais importa na época de Natal é festejar e se reunir com a família, os amigos e por que não, com os moradores. A síndica Zelma Barcaui do Condomínio Aquarius, de 62 unidades, possui uma tradição que já se repete há 12 anos: um almoço natalino com todos os moradores.

Sempre no início de dezembro eles são convidados por informativos nos elevadores a trazerem comes e bebes e se reunirem para celebrar à data. “Esse ano, a nossa decoração será exatamente a mesma do ano passado. Não vamos comprar nada, porque recentemente terminamos uma obra e o condomínio não tem dinheiro para investir em decoração. E sejamos sinceros, a economia anda sim bem ruim. Mas, não vamos deixar de fazer o nosso almoço. É uma tradição que todos os moradores gostam. Os mais antigos já estão acostumados e os mais novos às vezes vêm para conhecer. Também fazemos amigo oculto e já tivemos alguns anos com música, festa, muitas crianças… Resumindo, acho que no final, o que conta é a convivência e se reunir com os amigos e pessoas queridas. Esse é o espírito natalino”, conclui.