Rio de Janeiro, 23 de março de 2014

Manter a caixa d’ água limpa é a garantia de água de qualidade

Manter a caixa d’ água limpa é a garantia de água de qualidade Continue lendo

tamanho do texto:

Vanessa Sol

Vital no dia a dia de qualquer ser humano, a água é um item de fundamental importância dentro do condomínio não só nos dias quentes de verão, mas em todas as estações do ano. Entre as tarefas dos síndicos está a manutenção e limpeza das caixas d’águas e reservatórios do condomínio. Os cuidados com a água são essenciais para que ela continue potável e própria para o consumo, evitando problemas de saúde, dentre outros de maior gravidade.

Para que a água chegue ao lar de cada condômino em boas condições, seja para o banho, a realização de atividades domésticas ou o consumo de ingestão, é necessário que o condomínio tome uma série de precauções. A recomendação é que a limpeza seja feita periodicamente a cada seis meses. Em geral, é indicado que o condomínio contrate uma empresa especializada para a higienização das caixas d’água e das cisternas.

A falta de limpeza e manutenção pode contaminar a água, trazendo inúmeros prejuízos ao condomínio e à saúde dos condôminos. A presença de rachaduras e infiltrações também é um fator de risco. Com o vazamento, ocorre a perda de água, encarecendo a conta no final do mês e aumentando os gastos financeiros do condomínio.

No Condomínio do Edifício Residencial Maratahoan, no Grajaú, a síndica Maria Esther Anaissi de Miranda Rocha faz a limpeza da caixa d’água, de 40 mil litros, e da cisterna, de 45 mil litros, regularmente. A cada seis meses a síndica chama uma empresa especializada para a limpeza dos reservatórios. “Há 10 anos faço a limpeza e manutenção da caixa d’água e da cisterna do condomínio com a mesma empresa, que se tornou de minha confiança, e nunca tive problemas”, destaca.

A dica de Maria Esther é fazer a limpeza em dois dias. No primeiro, faz-se a higienização da cisterna e no dia seguinte, a da caixa d’água. Este procedimento adotado pela síndica, que está há 15 anos no cargo, evita que falte água no condomínio durante a manutenção dos reservatórios. “A cisterna é muito grande e, em função disto, ela não enche a tempo de jogar a água para a caixa d’água. Por isso optei pelas duas etapas. Senão ficamos um dia sem água e eu não vou deixar as pessoas sem água durante este calorão”, explica.

Para não haver desperdício de água, a síndica do Maratahoan desliga o registro de entrada de água da rua 24 horas antes da limpeza. Assim, a cisterna fica com o nível de água baixo, quase vazia. Ela explica, ainda, que após o término da limpeza da cisterna, ela já começa a ser cheia novamente. No dia seguinte, ao final da higienização da caixa d’água, o abastecimento dela começa imediatamente.

No Condomínio do Edifício Residencial Conselheiro Buarque de Macedo, no Flamengo, o procedimento de limpeza da cisterna e das duas caixas d’água do condomínio também não é muito diferente: primeiro, faz-se a limpeza da cisterna e depois das duas caixas d’água do condomínio. Para a síndica Maria do Carmo Alves Custódio da Silva, que está à frente do Buarque de Macedo há cinco anos, esta é a melhor maneira para evitar a falta d’água, além de garantir a qualidade da água. “Desta maneira, quando a água subir para as caixas d’águas, elas estarão completamente limpas e assim não falta água”, afirma a síndica.

Geralmente, a síndica avisa aos condôminos sobre a limpeza com uma semana de antecedência para não pegar ninguém desprevenido. Maria do Carmo conta que ia realizar a limpeza da caixa no mês de fevereiro. Porém, a síndica adiou o procedimento para o mês de março em função da irregularidade de abastecimento que vem acontecendo na cidade durante este verão. “Não tivemos problema com o abastecimento aqui no condomínio, é apenas uma precaução”, enfatiza a síndica.

Qualidade da água
A caixa d’água deve estar conservada, tampada, sem rachaduras, vazamentos, infiltrações e descascamentos. De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), as caixas d’água ou reservatórios devem ser lavados, higienizados e desinfetados, no mínimo, a cada seis meses.

Por mais que a limpeza seja simples, uma boa higienização da caixa d’água requer um profissional qualificado, que estará habilitado para fazer a escovação das paredes e do fundo do reservatório, além da desinfecção com água sanitária. A emissão do laudo de potabilidade da água pela empresa responsável pela higienização das caixas d’água e das cisternas do condomínio também é importante. É ele que garante a qualidade da água a ser consumida por todo condomínio.

Impermeabilização
É importante destacar que problemas com infiltrações são muito comuns nos condomínios. Há desde os pequenos casos, em que pouca água é desperdiçada até episódios de maior gravidade. Os dois casos acabam gerando prejuízos ao condomínio. Em geral, os pequenos vazamentos são confundidos com um aumento do consumo e são mais difíceis de serem detectados. No entanto, os grandes vazamentos são descobertos mais rapidamente.

No Condomínio do Edifício Residencial Marcelo, com 28 unidades, na Tijuca, o síndico João Marcos Mirilli fez a manutenção e limpeza das duas cisternas e da caixa d’água recentemente, bem como a impermeabilização. No se condomínio, segundo João, não havia vazamentos, mas o procedimento foi utilizado para prevenir futuros incidentes. “As paredes dos reservatórios estavam um pouco comprometidas, então nos foi recomendada a impermeabilização”, explica o síndico.

Ele conta ainda que, juntamente com o trabalho, foi realizada a troca do barrilete, que é uma tubulação que interliga a caixa d’água às colunas de alimentação do condomínio. A identificação dos problemas aconteceu, ainda, na gestão anterior a de João Marcos, que deu continuidade ao trabalho que vinha sendo feito. “A gestão anterior iniciou a pesquisa. Eu a conclui e contratei a empresa para fazer o serviço no condomínio”, declara.

Após os consertos necessários ao bom funcionamento do sistema de abastecimento de água do Condomínio Marcelo, o próximo passo foi a limpeza dos reservatórios. “Agora, estamos esperando a empresa nos enviar o laudo de potabilidade da água”, afirma o síndico. A impermeabilização é muito eficiente contra vazamentos porque impede que a água entre em contato direto com a caixa e a faça trincar. Existem no mercado, atualmente, materiais próprios para a impermeabilização do reservatório e empresas especializados para a realização do serviço.

Por que economizar água?
A conta d’água é uma das despesas que mais encarece o condomínio, representando entre 10% e 15% das despesas ordinárias do condomínio. Mas nem sempre é fácil conscientizar os condôminos sobre a importância de se economizar água, principalmente porque o mau uso da água é mundial e tem causado preocupação em especialista sobre o assunto.

O Brasil é um país rico em água disponível para o consumo, possuindo 13,7 % de toda a água potável no mundo. Mesmo sendo a água um elemento importante para a sobrevivência, a população tem desperdiçado este recurso tão precioso. Dados das Organizações das Nações Unidas (ONU) revelam que até 2050 mais de 45% da população mundial não terá acesso à água potável. A escassez dos recursos hídricos a longo preocupa, mas algumas atitudes simples do dia-a-dia ajudam a evitar o desperdício de água.

O síndico pode mobilizar os condôminos sobre a necessidade de economizar água fixando lembretes nos quadros de aviso.

Confira algumas dicas para síndicos, condôminos e funcionários:

- Ao escovar os dentes ou lavar a louça evite deixar a torneira aberta o tempo todo. Utilize-a apenas quando for fazer o enxágüe;

- Não tomar banhos muito longos mesmo nos dias de grande calor. Além disso, recomenda- se fechar o chuveiro ao se ensaboar;

- Não lavar a calçada com a mangueira, sim varrê-la;

- Vistoriar bicas e a descargas para evitar vazamentos;

- Não desperdiçar água ao molhar as plantas do jardim do condomínio.

- Usar máquinas de lavar louça ou roupa apenas quando a capacidade total estiver completa.

 

Faltou água, e agora?
A falta de água pode ser um fantasma que ronda muitos condomínios no Rio de Janeiro. Muitas vezes, o problema é ocasionado por falhas no abastecimento ou mesmo em função de consertos em adutoras.

Uma das medidas que o síndico pode tomar quando faltar água no condomínio é fazer a contratação de caminhão-pipa. Neste caso, o síndico deve procurar uma agência Cedae e comprovar que não está sendo abastecido para que a Cedae cancele aquela conta ou faça o abatimento dos dias em que o condomínio foi prejudicado pela falta d’água.