Rio de Janeiro, 29 de janeiro de 2013

Verão, muito sol e piscina limpa

O calor é um convite para um mergulho na piscina. Confira as dicas sobre como mantê-la limpa não só no verão, quando a procura por ela é maior, mas durante todo o ano. Continue lendo

tamanho do texto:

O verão chegou e nada melhor que um bom mergulho na piscina num dia de calor. Nessa época do ano, a tendência é que ela seja mais utilizada, atraindo os condôminos de todas as idades. E uma boa manutenção ajuda a mantê-la limpa e própria para o banho sempre. Para isso, ela precisa de cuidados básicos que incluem a filtragem, a aspiração e a aplicação de produtos químicos, como cloro, algicida e clarificante.

O síndico tem várias opções na hora de realizar esse tipo de trabalho especializado, seja contratando uma empresa para fazer o serviço, treinando os funcionários do próprio condomínio para a função ou ainda contratando um profissional especializado.

No Condomínio do Edifício Residencial Elias Ibrahin Malet, em Copacabana, há duas piscinas de grande porte que vêm sendo cuidadas há 25 anos pela mesma empresa, contratada quando o condomínio foi inaugurado. Edson Lopes Semedo, síndico do residencial há dois anos, explica que é o guardião de piscina que faz a tratamento da água.  “O guardião é funcionário dessa empresa contratada e ele cuida tanto da freqüência dos banhistas quanto da limpeza e manutenção da água”, afirma.

Edson destaca que a empresa envia ainda, uma ou duas vezes por semana, um outro funcionário ao condomínio para fazer exames na água, levar os produtos e ainda verificar se o guardião está tratando corretamente a piscina. “É um supervisor da empresa para fiscalizar o trabalho do guardião”, explica o síndico do Elias Ibrahin Malet.

Já no Condomínio do Edifício Residencial Epitácio Pessoa, com 88 unidades, na Lagoa, há 12 anos um funcionário prestador de serviço do condomínio realiza o tratamento e a manutenção das piscinas. Manoel Henrique de Sá Ribeiro, síndico também há dois anos, explica que o piscineiro cuida da piscina todos os dias, no verão, e três vezes por semana no inverno. “Ele faz a filtragem, aspiração e aplicação de produtos químicos. Ele é habilitado para cuidar da piscina porque fez um curso na Feema. Além disso, faz o controle de material para providenciarmos quando necessário. É uma pessoa de confiança e me dá uma consultoria do que a piscina está precisando”, ressalta o síndico.

É só limpeza
Porém, nem tudo é festa e nem todo dia é dia de tomar banho de piscina. No condomínio Elias Ibrahin Malet, a segunda-feira é reservada para o descanso da água da piscina. E como não há banhistas nela, o condomínio aproveita para fazer uma faxina geral em toda a área de lazer. “Nesse dia, fazemos também a limpeza da área ao redor da piscina, das cadeiras, das espreguiçadeiras, ou seja, de toda a área de lazer. Essa faxina é feita pelos quatro funcionários do condomínio. Esse é o dia de descanso da água”, enfatiza o síndico Edson Semedo.

Para realizar a limpeza física da piscina são necessários alguns equipamentos, como a rede para retirada de folhas, assim como o aspirador que serve para complementar o trabalho da filtragem. As escovas de nylon devem ser utilizadas para a retirada de resíduos das paredes da piscina. Fazer essa escovação uma vez por semana ajuda a eliminar depósitos de algas, antes que se formem manchas.

A recomendação de Francisco Roberto Monteiro Silva Neto, diretor de uma empresa que há 12 anos realiza a limpeza e o tratamento de piscinas de condomínios, academias, escolas e clubes, é que essa manutenção seja feita diariamente com produtos bactericidas para que sejam mantidos os níveis recomendados pela legislação. “Mesmo com o tratamento diário, deve ser feito o exame bacteriológico, mensalmente, para verificar se não há na água da piscina nenhuma bactéria resistente ao cloro”, esclarece.

O diretor explica ainda que a empresa oferece treinamento para os funcionários de condomínios, que, às vezes, não tem recursos para contratar um técnico específico para isso e utiliza seus próprios funcionários para o tratamento. “Fazemos um treinamento para o tratamento de água. Nós ensinamos como limpar, manter e salinizar água”, destaca.

 

Outro aspecto apontado por Francisco é o diversificado tipo de tratamento que pode ser utilizado em uma piscina. A tendência do mercado, segundo ele, é a salinização da água, e ele recomenda a procura de uma empresa que detenha a patente de um salinizador juntamente ao Instituto Tecnológico da Aeronáutica de São Paulo (ITA-SP). “É uma tendência de mercado a utilização deste tipo de tratamento. Ele não provoca alergias que muitas pessoas com a pele”, destaca o diretor.

 

Os cuidados externos também são essenciais para manter a limpeza da piscina em dia. Colocar uma capa de proteção evita que a sujeira se acumule na superfície da água, além de evitar acidentes. No Condomínio do Edifício Residencial Epitácio Pessoa, as piscinas são pequenas e, por isso, não necessitam de guardião de piscina. Então, a capa serve de proteção a fim de evitar que acidentes ocorram. “Temos uma rede de proteção na piscina, para o caso aconteça de alguma criança entrar lá. Esse controle é importante”, enfatiza Manoel Henrique Ribeiro.

 

Já no condomínio Elias Ibrahin Malet a capa tem outra função, que é manter aquecida a piscina que fica ao ar livre. “O condomínio tem máquinas para o aquecimento da água e quando ela fica inferior à temperatura determinada, ela liga automaticamente. No inverno, temos uma capa para cobrir a piscina à noite, no intuito de manter a temperatura da água, senão o trabalho da máquina será em vão. A partir de outubro, a temperatura já está mais quente, por isso não é necessário cobri-la”, explica Edson Semedo.

 

O síndico do condomínio Epitácio Pessoa nunca teve problemas em relação à piscina, mas destaca que ela aumenta a responsabilidade do síndico. “Eu acredito que dá mais um pouco de trabalho cuidar de um condomínio com piscina por aumentar o universo das coisas que o síndico precisa cuidar, pois há as preocupações com todo o sistema hidráulico da piscina para evitar vazamentos. É mais uma observação que o síndico tem que fazer. Além da conscientização dos condôminos para seguirem as regras de uso da piscina”, destaca.

 

Hora de ir à piscina

O horário de funcionamento das piscinas fica a critério de cada síndico. No Condomínio Epitácio Pessoa, elas funcionam das 9h às 17h, inclusive nos finais de semana. E no verão, o horário é estendido até às 19h.

 

Já no condomínio Elias Ibrahin Malet, o funcionamento é das 8h às 20h, de terça a sábado, e, no domingo, até às 17 horas. Porém, no verão, o horário é estendido de acordo com a frequência da piscina, que atrai mais moradores pela manhã e pela noite, por causa da hidroginástica, e nos finais de semana. “Os moradores trabalham muito durante a semana e acabam não indo à piscina. Há também os moradores que moram fora e vem para o condomínio somente no final de semana ou no verão, por isso esses são os horários de maior utilização da piscina” finaliza Edson Semedo.

 

 

Box 1

Regras para o bom uso da piscina

- Os banhistas não devem passar óleo de bronzeador e protetor solar porque engordura a água, e suja os azulejos da piscina. Caso passem alguns destes produtos, é necessário retirá-los na ducha, com sabão, antes de entrar na piscina;

- Deve-se usar a ducha antes de entrar na água para retirar também o suor do corpo para não sujar a água;

- Não usar bolas pesadas, somente as próprias para piscina;

- Não utilizar vidros ou objetos cortantes perto da área da piscina;

- Não comer nem beber próxima à piscina;

- As crianças pequenas devem utilizar bóias de braço e devem estar acompanhadas por um responsável;

- Estar com o exame médico em dia, que deve ser renovado anualmente;

- Se possível, cercar a área da piscina para evitar acidentes;

- Ter o kit de primeiros socorros exigido pelo Corpo de Bombeiros. O kit deve estar sempre em local de fácil acesso para qualquer eventualidade.

 

 

Box 2

Dicas para manter a piscina limpa:

A limpeza física da piscina é primordial. Ela deve ser feita em função do uso e também da quantidade de pessoas que a utilizam para estar de acordo com os parâmetros que vão deixá-la num nível de utilização adequado. Confira algumas dicas:

- Manter a filtragem pelo número de horas necessário em relação ao volume da piscina também é fundamental;

- Hoje em dia, há temporizadores que ligam e desligam automaticamente as bombas de filtragem, dando um conforto ao operador, que precisa identificar apenas se as máquinas estão funcionando corretamente;

- Manter a aplicação dos produtos químicos, como algicida, clarificante, cloro (nas piscinas que são tratadas com ele). Esses produtos devem ser manuseados com cuidado, porque podem provocar queimaduras e outros acidentes em quem está aplicando e em quem está utilizando a piscina. Por isso, que tem que ter um horário marcado para se fazer o tratamento para evitar qualquer tipo de problema.